Zero combustíveis fósseis nas ilhas Galápagos com a Siemens

terça-feira, 25 de junho de 2019


  • Central elétrica híbrida a biodiesel e energia solar inaugurada na ilha de Isabela nas Galápagos

  • Primeiro sistema deste tipo na região, desenvolvido para ser carbono neutro

  • Monitorizado à distância a partir de Munique, Alemanha, e Austin, nos Estados Unidos da América

Após apenas dez meses de planeamento e outros dez de construção, foi inaugurada a central elétrica híbrida da ilha de Isabela, no arquipélago das Galápagos, que a Siemens projetou e instalou. Este projeto visa a transição da atual estrutura de produção de energia, baseada em combustíveis fósseis, para um sistema híbrido, que conta com diversas fontes de energia primária. O sistema funciona em regime neutro de carbono, utilizando biocombustível e energia solar, e produz energia para quase 900 famílias na maior ilha das Galápagos.

O panorama energético destas ilhas está atualmente ameaçado por um abastecimento instável e de alta intensidade de CO2, baseado maioritariamente na produção de eletricidade a partir de energia térmica. Tendo em conta o seu estatuto de Património Mundial da UNESCO, o programa do governo equatoriano "Zero Combustíveis Fósseis nas Ilhas Galápagos" visa a transição completa do fornecimento de energia do arquipélago para fontes de energia renováveis.

Esta política ambiciona alcançar um consumo de energia mais eficiente, o recurso às energias eólica e solar e a substituição dos combustíveis fósseis por óleos vegetais puros. Neste sentido, está prevista a utilização como biocombustível do óleo obtido da planta indígena Jatropha Curcas, assegurado pela produção nacional existente no continente.

Fontes de energia renovável com sistema digital monitorizado à distância

Na ilha de Isabella, a Siemens instalou um sistema fotovoltaico de 952 kWp, um sistema de armazenamento de energia com base em baterias com uma potência de até 660 kW, e uma central elétrica alimentada por geradores com uma potência total de 1625 kW.

“O sistema instalado nas Galápagos é particularmente interessante para aplicações em ilhas, sejam elas ilhas físicas ou elétricas, agregando tecnologias sustentáveis e soluções que os nossos centros de competência em Portugal também têm vindo a desenvolver, não só para os Arquipélagos dos Açores, Madeira e Cabo Verde, mas também para zona remotas em Angola e Moçambique, onde a eletricidade não chega pelas vias tradicionais das redes de transporte e distribuição.” disse Fernando Silva, responsável pela Smart Infrastructure da Siemens Portugal, acrescentando que “a adoção deste tipo de tecnologias permite aos nossos clientes alcançarem importantes metas ambientais de longo prazo, e fazer face a flutuações da população, o que é habitual em destinos turísticos.”

A fim de garantir um serviço efetivo no local, o sistema é monitorizado remotamente pelos Centros de Aplicação de MindSphere1 da Siemens, localizados em Munique, na Alemanha, e em Austin, no estado americano do Texas.

O projeto foi adjudicado pelo Ministério de Energia Elétrica e Energias Renováveis do Equador (MEER), e contou com o financiamento do banco de desenvolvimento estatal alemão Kreditanstalt für Wiederaufbau (KfW), tendo a empresa Lahmeyer International sido consultora do projeto. A central elétrica é operada pela empresa de eletricidade local Elecgalapagos.

Saiba mais sobre este projeto aqui.

1 Sistema operativo aberto para a Internet das Coisas, baseado na cloud, da Siemens


Rita Silva 

 ritas.silva@siemens.coml