Tools

Siemens PortugalSiemens Portugal

Site ExplorerSite Explorer
Close site explorer

Estudo: Investimento em transportes públicos com impacto direto no PIB das cidades

terça-feira, 22 de julho de 2014

  • Estudo analisa as redes de transportes públicos em 35 grandes cidades a nível mundial e aponta ganhos na ordem dos 800 mil milhões de dólares por ano.

  • Primeiro estudo a atribuir um valor económico aos custos dos transportes ineficientes

  • Investimento projetado para os transportes públicos assegurará a atratividade e competitividade das cidades

A modernização das redes de transportes públicos nas grandes cidades de todo o mundo poderia resultar num benefício económico na ordem dos 800 mil milhões de dólares, a partir de 2030. Esta conclusão resulta do estudo "A Oportunidade da Mobilidade", condu-zido pela consultora britânica Credo para a Siemens. O estudo analisou as redes de transporte público em 35 grandes cidades a nível mundial e avaliou o seu grau de prepa-ração face aos desafios futuros, incluindo o crescimento da população e maior concor-rência entre as cidades na captação de investimento.

De acordo com as conclusões, se todas as 35 cidades estudadas implementassem os padrões "Best in Class" adequados à sua realidade no que respeita à mobilidade em transportes públicos, o benefício económico anual, a partir de 2030, seria de cerca de 238 mil milhões de dólares. Extrapolando este valor para todas as cidades mundiais comparáveis com os exemplos analisados, as quais teriam cerca de 750.000 ou mais habitantes, as oportunidades económicas traduzir-se-iam em cerca de 800 mil milhões dólares por ano, o equivalente a cerca de um por cento do PIB mundial. O benefício potencial atual ronda os cerca de 360 mil milhões de dólares por ano.

Em Portugal está já a ser feito um esforço por parte da Administração Central que esta-beleceu um plano a ser executado até 2020, onde se assume que o investimento na modernização dos transportes e das infraestruturas associadas irá tornar o País mais competitivo na captação de negócios e na resposta às necessidades de mobilidade exis-tentes.

O Plano Estratégico dos Transportes e Infraestruturas (PETI3+), recentemente aprovado, engloba 59 projetos que representam um investimento total de 6067 milhões de euros, e inclui seis eixos de atuação, em função dos corredores considerados estratégicos para o país. A grande fatia do investimento, correspondente a 44%, será alocada aos projetos ferroviários, seguindo-se o sector marítimo-portuário. Dentro deste investimento, cerca de 13% vai ser aplicado em transportes públicos de passageiros.

Critérios da Análise do Estudo “A oportunidade da Mobilidade”

Os transportes são considerados um dos principais fatores de competitividade de uma cidade. Porém, a falta de recursos financeiros limita muitas vezes a capacidade das urbes para investir nas suas redes de transporte. Este estudo é único na medida em que procura atribuir um valor económico aos custos dos transportes ineficientes fornecendo, deste modo, argumentos às cidades para investir neste campo. Alguns dos fatores considerados nesta análise foram os tempos de viagem, os congestionamentos de tráfego e a densidade da rede, uma vez que todos têm um impacto profundo na produtividade de uma cidade. Para assegurar uma comparação razoável, o estudo divide as cidades em três categorias para ter em conta os diferentes níveis de riqueza e de desenvolvimento.

De acordo com a Credo as cidades mais eficientes em termos de custos são:

  • Copenhaga, Dinamarca (na categoria de "Cidades bem estabelecidas")

  • Singapura (na categoria de "Centros compactos de alta densidade")

  • Santiago, Chile (na categoria de "Cidades Emergentes")

Em seguida, a Credo comparou as restantes cidades com a líder na respetiva categoria. A comparação permitiu quantificar os benefícios económicos que os investimentos nos transportes trariam, tais como maior produtividade e novas atividades económicas. Por fim, a Credo desenvolveu alguns indicadores chave de como as cidades poderiam concretizar tal potencial económico.

"Todas as cidades podem aprender com as cidades principais da sua categoria, a fim de colmatar as lacunas na eficiência das suas redes de transporte, reduzir custos e aumentar a produtividade. Quanto mais eficiente for a rede de transportes de uma cidade, tanto mais atrativa esta será para os negócios e para os habitantes", disse Chris Molloy, Partner da Credo.

Roland Busch, CEO do Sector Infrastructure & Cities da Siemens e membro do Conselho de Administração da Siemens AG, argumentou, por sua vez que "os melhores sistemas de transporte são aqueles que asseguram a mobilidade das pessoas de forma mais rápida, fácil e confortável até aos seus destinos". E acrescentou: "As cidades líder já atingiram este objetivo através de redes de transporte eficientes, com infraestruturas modernas, facilidade de conexões entre os vários modos de transporte e, acima de tudo, com uma estratégia clara de como satisfazer as necessidades futuras", disse.

As cidades são os motores do crescimento futuro uma vez que são responsáveis por gerar 80% do produto económico global. No entanto, numa economia globalizada, em que a transferência internacional de empresas e recursos humanos é cada vez maior, as cidades têm de competir entre si para oferecer o ambiente mais atrativo para a atividade económica. Tendo esta necessidade em consideração, o estudo "A Oportunidade da Mobilidade" envolveu os decisores municipais de todo o mundo para que estes possam capitalizar as recomendações do estudo para obter benefícios económicos maiores.

Para aceder ao Sumário Executivo do Estudo: http://www.siemens.com/press/pool/de/feature/2014/infrastructure-cities/2014-06-mobility-opportunity/Study-mobility-opportunity-preview.pdf


Salomé Faria 

 salome.faria@siemens.com