Tools

Siemens PortugalSiemens Portugal

Site ExplorerSite Explorer
Close site explorer

Siemens apresenta alternativas para a gestão de trafego nas cidades

quarta-feira, 25 de maio de 2016

  • Empresa fala de mobilidade sustentável hoje, às 14h30, no Theatro Circo

  • Conversão modal é o futuro para tornar as cidades mais autónomas

  • Gerir os fluxos de tráfego das cidades é um desafio dos tempos modernos

A Siemens irá participar no Fórum Internacional das Comunidades Inteligentes e Sustentáveis (FICIS) que termina hoje em Braga. A multinacional participa no painel que debaterá a mobilidade sustentável, com uma apresentação que aborda a passagem da gestão de tráfego para a conversão modal. Esta é a proposta da Siemens para uma mobilidade urbana mais sustentável, tendo em conta o excesso atual de transportes individuais que carateriza as cidades de todo o mundo.

A área da mobilidade tem sido uma das apostas da estratégia da Siemens, a nível mundial, onde defende que através dos instrumentos certos, as cidades poderão gerir o seu tráfego e, em simultâneo, ter ferramentas para atuarem também sobre a conversão modal.

A empresa acredita que pode ajudar neste processo, disponibilizando esses instrumentos e ajudando as cidades a trazer para outros modos de transporte os passageiros que estão hoje focados na utilização diária do transporte individual, ou seja, o automóvel.

As soluções da multinacional alemã permitem utilizar múltiplas fontes de informação, não apenas de análise de comportamento do trânsito, como os sensores que detetam os fluxos de tráfego em vários pontos da cidade, mas também outros sensores, como os que monitorizam a qualidade do ar, os níveis de ruído ou os que medem o tempo de viagem entre dois pontos da rede viária.

Esta gestão de tráfego inteligente permite, entre muitas outras possibilidades, elaborar planos de sinais de semáforos que ajudam, por exemplo, a reduzir os níveis de emissões de CO2 nos centros das cidades.

Partindo desta gestão adaptativa, os responsáveis da cidade conseguem assim orientar o trânsito para locais mais desafogados, onde a infraestrutura tem mais espaço para acomodar o excedente de tráfego, ou para zonas em que existe oferta intermodal – metro, autocarros, comboios, entre outros.

A edição de 2016 do FICIS termina esta tarde, no Theatro Circo de Braga.


Rita Silva 

 ritas.silva@siemens.com