Tools

Siemens PortugalSiemens Portugal

Siemens apoia estudo sobre impacto da expansão da rede ferroviária de alta velocidade na economia americana

Estudo conduzido pelo Economic Development Research Group (EDR)

segunda-feira, 19 de julho de 2010

A expansão da rede de alta velocidade (AV), tal como está planeada nos EUA, poderá criar cerca de 145 mil postos de trabalho apenas nas regiões de Los Angeles, Chicago, Orlando e Albany (capital do estado de Nova Iorque). Este projecto  permitirá ainda ganhos anuais adicionais na economia destas cidades na ordem dos 15 mil milhões de euros. Ao mesmo tempo, a execução deste projecto permitirá reduzir as emissões de CO2 em cerca de 2.8 milhões de toneladas por ano.

Estas são algumas das principais conclusões de um estudo conduzido pelo Economic Development Research Group (EDR) para a Siemens e para a Associação de Mayors dos EUA, que representa mais de 1200 cidades americanas.

Ao participar neste estudo a Siemens demonstra o seu forte interesse em poder responder aos planos de expansão das infra-estruturas de alta velocidade ferroviária traçados pela administração americana.

Apesar da conjuntura económica desfavorável obrigar a repensar investimentos, são diversos os países que, devido à crise, optaram por manter as decisões relativas aos projectos de AV, considerada por muitos especialistas como um dos modos mais eficientes, do ponto de vista económico e ambiental, para fomentar o desenvolvimento económico das regiões abrangidas.

De acordo com Manuel Nunes, Director Geral da divisão de Mobility da Siemens Portugal, “a criação de infra-estruturas impulsiona a economia e que cria mais postos de trabalho. Os projectos em torno da Alta Velocidade constituem uma excelente oportunidade para o desenvolvimento”.

Para além dos ganhos normais ligados à existência de um serviço de transporte competitivo e com elevada capacidade, os ganhos em termos de eficiência estendem-se também à produtividade das regiões e ao acesso a novos mercados de trabalho, uma vez que as cidades ficam mais próximas, refere o responsável. Com projectos desta natureza potenciam-se também os fluxos turísticos entre as cidades e ligam-se os centros de conhecimento, financeiros e tecnológicos que suportam os clusters industriais das economias, conclui.

O estudo permite que, pela primeira vez, existam cálculos rigorosos sobre o impacto económico e ambiental esperado nas cidades e áreas circundantes servidas pelos projectos previstos no programa de investimento americano para o sector dos transportes. Desta forma, os decisores e restantes entidades envolvidas no planeamento urbano têm uma base sólida para avaliar os projectos e fundamentar as suas decisões.

Estudos da Siemens confirmam ainda que a construção dos corredores ferroviários de alta velocidade trazem vantagens, não apenas à economia local e ao mercado de trabalho, como também ao ambiente.

Os cálculos realizados mostram que, nas quatros cidades abrangidas por este estudo, um sistema de alta velocidade poderá reduzir em até 2.8 milhões de toneladas/ano as emissões de CO2 relacionadas com o transporte intercidades, uma redução para menos de 1/3 das emissões geradas actualmente.

A divisão Mobility da Siemens é líder mundial no fornecimento de soluções para infra-estruturas de transporte e tem uma forte implementação também nos EUA.

A título de exemplo, um em cada três veículos de metro ligeiro e um em cada quatro semáforos nos EUA foi fornecido pela Siemens.

Um resumo e uma cópia integral do estudo podem ser encontradas em www.usmayors.org/highspeedrail


João Delgado 

 joao.delgado@siemens.com